Resumo Economia – 1º Bimestre

Professor: Sérgio Seiji Itikawa

Economia: ciência social que estuda como o individuo e a sociedade decidem empregar recursos produtivos escassos na produção de bens e serviços e distribuí-los para as pessoas de modo a satisfazer as necessidades delas.

Sistemas econômicos: organização da produção, distribuição e consumo de todos os bens e serviços que as pessoas utilizam buscando uma melhora no padrão de vida e bem estar.

Elementos básicos: estoque de recursos produtivos (fatores de produção), complexo das unidade de produção (empresas) e conjunto das instituições (política, jurídica, econômica e social -> base da organização da sociedade).

Em qualquer sociedade -> recursos e fatores escassos e necessidades ilimitadas = PROBLEMAS ECONOMICOS FUNDAMENTAIS.

 

Portanto: o que? Como? Para quem? Quanto? -> escolha da sociedade

 

Curva de possibilidade de produção: questão da escassez de recurso impõe um limite a capacidade de produção de uma sociedade, assim, tendo que fazer escolhas entre alternativas de produção. A produção total de um país tem um limite Maximo -> produção potencial ou pleno emprego (utilização de todos os fatores disponíveis).

Assim, a curva mobiliza todas as possibilidades de produção de produtos.

Qualquer ponto dentro da curva ->é chamado de capacidade ociosa.

Qualquer ponto fora da curva -> ultrapassa a capacidade ou pleno emprego

Qualquer ponto na curva -> pleno emprego.

 

Custo de sacrifício: é que para aumentar a produção de maquinas, por exemplo, teremos que sacrificar a produção de alimentos. Isso é crescente.

 

Agentes econômicos fundamentais: unidades familiares e as empresas.

FLUXO REAL: famílias ofertam fatores de produção (mão-de-obra, dinheiro, terra, tecnologia e capital empresarial) para o mercado onde empresas demandam (procuram), as empresas ofertam bens de serviço (tv, computadores) para o mercado que as famílias demandam.

= através da moeda

FLUXO MONETÁRIO: as empresas remuneram as famílias e elas pagam os bens e serviços para as empresas.

FLUXO REAL + FLUXO MONETÁRIO = FLUXO CIRCULAR DE RENDA.

Em cada mercado atua junto as forças da oferta e da demanda determinando os preços.

– formam-se os preços dos bens

– determinam os preços dos fatores.

 

Bens de capital (bens finais): utilizados na fabricação de outros bens, sem se desgastarem totalmente. Ex: Máquinas.

Bens de consumo: necessidades humanas são duráveis (geladeira) e não duráveis (alimentos).

Bens intermediários: utilizados na fabricação de outros bens, utilizados totalmente. Ex: matéria-prima, insumos.

Fatores de produção: recursos humanos -: trabalho, terra, capital empresarial, tecnologia, dinheiro.

 

Microeconomia: analisa a formação de preços no mercado, ou seja, como a empresa e o consumidor interagem e decidem qual o preço e a quantidade de um determinado bem ou serviço. Estuda a oferta e demanda.

Analisa: consumidores e produtores.

Uma procura de mercadorias é mais afetada devido o seu preço e pela renda do consumidor. São mais relevantes os preços relativos, ou seja, preços de um bem em relação aos demais.

Ex: soda e guaraná, menos 10% = demanda continua igual.

Soda continua e guaraná – 10 % = haverá uma demanda maior de guaraná e a soda continua com seu preço absoluto, mas o seu preço relativo aumentou.

 

Principio da racionalidade: o empresário busca seu lucro total, através dos recursos que tem.

A teoria da microeconomia representa uma ferramenta útil para estabelecer políticas e estratégias, dentro do planejamento.

 

Análise da demanda:

Teoria do consumidor:

1ª parte: Teoria da utilidade -> nível de ‘’bem estar’’ o que determina a demanda ou a oferta são vários fatores: dinheiro, preços relativos, novidade, propaganda.

Testa o preço variando apenas um fator.

Utilidade marginal: é o acréscimo a utilidade total decorrente do consumo de uma unidade adicional daquele produto.

Lei da utilidade marginal decrescente: a medida de aumenta a quantidade consumida de um produto, sua utilidade marginal diminui. Ex: saco de cevada tem maior utilidade total, portanto, menor utilidade marginal.

Preço marginal de reserva: é o preço Maximo que o consumidor está disposto a pagar por uma unidade adicional. Quanto maior for o preço marginal de reserva em relação ao preço de mercado, maior será o estimulo para aumentar a quantidade consumida.

 

2ª parte: Teoria da escolha -> quando temos duas cestas, tem critérios de escolha CI (10; 15) e CII (cinco;25).

1) A> B ou B>A ou A=B (indiferentes)

2) A>B e B> C   =  A>C

3) escolhem pela maior quantidade que no caso CII> CI

 

Taxa marginal de substituição: reduz a mercadoria I para aumentar II em uma unidade. Essa taxa indica quanto o consumidor estaria disposto a ceder da mercadoria II em troca da I -> tende a 0 (zero).

Ex:

I: 1 ->2 = +1

II: 12 ->6 = -6

Assim, o TMS (taxa marginal de substituição) é seis, pois abriu mão de seis unidades da II para ter uma unidade a mais da I.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s